segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Lições da vida de Gideão.

Levíticos 6 e 7


Quem eram os midianitas?

Os midianitas eram povos nômades árabes dos desertos da Síria da Arábia. Esse povo oprimia Israel roubando suas colheitas e também seus animais .Eles tinham invadido a parte central da Palestina. Em um de seus ataques eles mataram os irmãos de Gideão, em uma terra chamada Tabor. Foi então que Gideão teve uma experiência com Deus, onde o Anjo do Senhor o chamou para fazer dele o libertador de Israel.

Detalhes da opressão midianita

Os midianitas destruíam toda a plantação de Israel, não deixando nenhum mantimento. Matavam as ovelhas, os bois e os jumentos. Eles entraram nas terras de Israel em multidões “como gafanhotos”, seus camelos eram inumeráveis, sua missão era dizimar o povo de Israel. A história diz que por causa disto, Israel se enfraquecia a cada dia.

O povo de Israel clamou pela ajuda de Deus

            Diante da situação de escravidão, o povo de Israel não tinha como se livrar das mãos de um inimigo tão numeroso e poderoso como os midianitas. Na lógica, seu exército era mais frágil e o povo estava desmotivado para batalhar. O medo não os deixava acreditar que seriam capazes de vencer seus inimigos. A única solução foi “clamar ao Senhor”, pedir ajuda a Deus. A Bíblia diz que diante do pedido de socorro de Israel, Deus lhes fez lembrar de outras vezes que eles estiveram em apuros e que Deus os livrou das mãos de seus opressores. Somos levados a pensar que Deus nos desamparou nos momentos de adversidade. Existem pessoas que não sentem Deus nas tempestades, nas dificuldades, nas doenças, porém, Ele sempre está perto daqueles que o clamam, daqueles que acreditam que Ele pode solucionar os seus problemas. Diante disto, Deus chamou Gideão.

                   Como Gideão foi chamado para esta batalha

            Gideão estava preparando o trigo para depositá-lo ás escondidas dos midianitas. Mesmo na adversidade, quando tudo estava contrário, ele não parou. O que é mais fácil? Aceitar os problemas e conviver com eles? Trancar o quarto e fazer de contas que tudo está bem, com medo de sair e se deparar com os conflitos? Passar uma vida toda sendo passivo com situações contrárias? “Ó vida, ó céus, ó azar!” Não é o que muitos têm dito? Deus não quer que você viva nesta situação. As pessoas que Ele procura para as batalhas da vida têm que ser como Gideão: dispostas, corajosas, motivadas, prontas para vencer. Faça como Gideão, continue mesmo contra a lógica, e Deus estará com você.

                 Gideão e sua revolução espiritual (Juízes 6.24-28)

            A tribo a qual Gideão pertencia estava entregue a uma religião pagã. Era necessário uma decisão emergencial: romper com seus costumes para estar mais próximo de Deus, visto que o povo de Israel não era um povo politeísta (que possuía muitos deuses), mas monoteísta (adoravam a um Único Deus). A primeira coisa que Gideão fez foi voltar-se para Deus. Precisamos, assim como Gideão, nos aproximarmos mais de Deus e nos distanciar de tudo que nos separa Dele. Depois que Gideão tomou esta decisão, a Bíblia diz que o “Espírito do Senhor apoderou-se de Gideão”, ou seja, ele se tornou um homem cheio de Deus. Eis o motivo das vitórias de Gideão!
           
            O povo que se ajuntou a Gideão (Juízes 6.34)

            Quando o povo viu que Deus estava com Gideão, muita gente se ajuntou a ele para guerrear contra os midianitas. É interessante como as pessoas querem estar ao lado de pessoas motivadas, que sabem o que querem e para onde estão indo. Segundo a Bíblia, a princípio, eram 32 mil guerreiros que se ajuntaram a Gideão (Juízes 7.3). Esteja ao lado de homens de Deus!

                Gideão venceu só por causa dos 300 homens ou foi um milagre divino? ( Juízes 7)

            “Disse Deus a Gideão: o povo que está contigo é demais para Eu entregar os midianitas em suas mãos. Não seja o caso que Israel se glorie contra mim, dizendo: Foi a minha própria mão que me livrou.” (Juízes 7.2)
            Diante daquela multidão, Deus deu uma ordem: “Aquele que for medroso, volte.” Dos 32 mil, só ficaram 10 mil. Isso mesmo, 22 mil voltaram para trás, mas para Deus ainda era gente demais. “Disse mais o Senhor a Gideão: Ainda são muitos.” Deus, mais uma vez, separa aqueles que estão dispostos a batalhar. Desta vez os homens foram levados a um riacho para beber água. Aqueles que “lambessem as águas como cães” seriam os escolhidos, os que se ajoelhassem para beber voltariam para casa. Somente 300 lamberam as águas, 9.700 voltaram. A posição de “lamber as águas” demonstra destreza e prontidão, visto que a  boca está na água, mas os olhos prontos a ver o inimigo e a posição muito mais favorável para uma eventual defesa. Os ajoelhados demonstraram cansaço e falta de interesse.

            O que Deus disse a Gideão foi: “Com estes trezentos homens que lamberam a água vos livrarei, e entregarei os midianitas na tua mão.” (Juízes 7.7). Gideão dividiu aqueles 300 homens em 3 companhias de 100 homens e armou cada um deles com uma trombeta, um cântaro (vaso de barro) vazio e uma tocha acesa. 

            Gideão desceu ao acampamento dos midianitas e olha o que aconteceu:

            “Assim tocaram as três companhias as trombetas, despedaçaram os cântaros, segurando com as mãos esquerdas as tochas e com as direitas as trombetas para as tocarem, e clamaram: A espada do Senhor e de Gideão! E conservou-se cada um no seu lugar ao redor do arraial; então todo o exército deitou a correr e, gritando, fugiu. Pois, ao tocarem os trezentos as trombetas, o Senhor tornou a espada de um contra o outro, e isto em todo o arraial, e fugiram até Bete-Sita, em direção de Zererá, até os limites de Abel-Meolá, junto a Tabate.” (Juízes 7. 20-22)
           
Lições da vida de Gideão
1ª – É preciso ser forte diante das dificuldades.
2ª – Não posso me conformar com os problemas.
3ª – Não posso sentir-me vitima do mundo e de todos.
4ª – Não parar, estaguinar, preciso continuar minha vida, mesmo quando tudo parece ser contrário.
5ª – Não venço sozinho, preciso de Deus.
6ª – Preciso estar pronto para novos desafios.
7ª – Coragem para liderar.
8ª – Prontidão ao chamado de Deus.
9ª – É Deus quem me dá as estratégias para vencer, preciso confiar, mesmo que pareça ilógico.
10ª – Quem venceu a batalha não foram os 300, pois isto seria impossível, mas a fé de um homem em um Deus que pode tudo fazer.



Em Cristo, vencedor eternamente!

Samuel Eudóxio



Um comentário:

  1. Olá irmão! Que bom que gostou do nosso vídeo do Centenário. Claro que pode postar! Será um prazer para nós. Deus te abençoe.

    ResponderExcluir