sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Avivamento pela Palavra - 7ª Parte - Pregação expositiva e efeitos do avivamento



Continuação e última parte do estudo sobre "Avivamento pela Palavra".

5 – A grande necessidade da pregação expositiva. V. 8

“E leram o livro, na Lei de Deus, e declarando e explicando o sentido, faziam que, lendo, se entendesse.”

Definição de pregação expositiva:
É aquela que se ocupa principalmente da exegese ou exposição completa de textos ou palavras das escrituras.

Características da pregação expositiva:
Essencialmente bíblico e se distingue pela sua reverência a verdade sagrada.
Exige mais preparação por parte do pregador.
Traz mais conhecimento tanto ao pregador, quanto aos ouvintes, que passam a amar a Palavra de Deus.
Foi método primitivo de pregação.
É o método mais apreciado por aqueles que se dedicam ao estudo da Palavra de Deus.
O texto explanado tem que star em harmonia com outros da Bíblia, formando um todo harmônico, procedente de Deus para seu povo. O texto não pode ser isolado de toda a Escritura.

Vantagens da pregação expositiva, por Hernandes Dias Lopes
1 – A pregação expositiva dá vida ao povo.
2 – A pregação expositiva encoraja o povo a estudar por si só a Palavra de Deus.
3 – A pregação expositiva tem um meio de ampliar os horizontes do indivíduo.
4 – A pregação expositiva oferece ao pregador uma congregação cada vez mais amadurecida. 

Alguns exemplos bíblicos de pregação expositiva

Jo 4. Jesus e a mulher samaritana.
At. 8. 30, 31, 35: “Entendes tu o que lês? E ele disse: Como poderei entender, se alguém me não ensinar? E rogou que subisse e com ele se assentasse. v. 35:  “Então Filipe, abrindo a boca e começando nesta Escritura, lhe anunciou a Jesus.”
At 7: Estevão começa falando de Abraão e faz um relato de toda a história de Israel até a chegada do Messias.
At 10. 34-48: Pedro na casa de Cornélio. Após sua pregação expositiva “caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a Palavra.”
At 13. 13- 52: Paulo e Barnabé na Sinagoga de Antioquia da Pisídia. Observe o poder da pregação expositiva, pois que no versículo 45 diz: “E, no sábado seguinte, ajuntou-se quase toda a cidade a ouvir a Palavra de Deus.”
At 18.11: Paulo em Corinto – “E ficou ali um ano e seis meses, ensinando entre eles a Palavra de Deus.”
At 26.1-32: Paulo perante o rei Agripa. O resultado foi esta palavra do rei: v. 28 “Por pouco me queres persuadir a que me faça cristão.”
At 20.7-11: Paulo em Trôade. Ele pregou e “alargou a prática até á meia noite” (v.7). Eutico, que estava na janela, parece pouco interessado com o sermão do apóstolo, a exemplo de muitos de nossos dias. Paulo abraça aquele jovem e pede calma aos presentes, visto que aquele jovem viveria. Ele para o culto? Não. Diz o versículo 11: “E, subindo, e partindo o pão, e comendo, ainda lhes falou largamente até a alvorada; e assim partiu.”

6 – A renovação que veio pela Palavra. Ne 8.9-12; 9.1-3,38; 10.28-39 

A – Quebrantamento espiritual. V.9c: “Porque todo o povo chorava, ouvindo as palavras da Lei.”
O choro produzido deve ser de arrependimento genuíno. Não pode ser apenas emocionalismo.
Existem alguns pseudos avivamentos, onde as pessoas choram, rodopiam, pulam, fazem os chamados “aviãozinhos”, deitam-se no chão como mortos durante vários minutos (senão o culto todo), dão risadas sem controle, uivam como leões, além de outras aberrações. Isto não passa de manifestações que se quer ultrapassam as portas do templo. É um "avivamento" efêmero.

Nosso culto deve ser racional (Hb 12.1). Veja: 

1 – Atinge o intelecto (8.8). A pregação é dirigida á mente, e apelar ao entendimento. (8.2,3,8,12)

2 – Atinge a emoção (8.9-12). Essa emoção manifestou-se de duas formas:
1ª) Choro pelo pecado (8.9). A Palavra de Deus produz arrependimento, quebrantamento e choro pelo pecado. Quanto mais você está perto de Deus, mais reconhece ser pecador. “O emocionalismo é inútil, mas a emoção produzida pelo entendimento é parte essencial do cristianismo.”
2ª) Alegria da restauração (8.10).  Essa alegria tem três aspectos importante:
- Origem divina: “ A alegria do Senhor” (v. 10). Não é uma alegria circunstancial, sentimental, momentânea.
- Conteúdo bendito. Deus não é apenas a origem, mas o conteúdo desta alegria.
- Efeito glorioso: “A alegria do Senhor é a nossa força” (v. 10). Quem sente esta alegria não olha para trás como a mulher de Ló. É essa alegria que faz com que o crente vá em frente, mesmo vivendo tribulações.

3 – Atinge a vontade (8.11,12).  
A -  (1) - O povo obedeceu á voz de Deus e deixou o choro e começou a regozijar-se (v.10,12). (2) – O povo tornou-se solidário ao próximo, enviando porções para que todos participassem da grande festa.
B – Gosto pela Palavra. V. 18
Fizeram a Festa dos Tabernáculos com duração de 07 dias e olhe o resultado:
v. 18: “E, de dia em dia, ele lia o livro da Lei de Deus, desde o primeiro dia até ao derradeiro; e celebraram a solenidade da festa sete dias e, no oitavo dia, a festa do encerramento, segundo o rito.”
C – Retorno aos bons costumes. Ne 9.1. Voltaram ao jejum.
D – Separaram-se “de todos os estranhos” (v. 2)
A igreja não pode se misturar com o mundo. Se quisermos viver um verdadeiro avivamento temos que tirar de nosso meio toda mistura.
1 João 2.15-16:  “Não ameis o mundo nem as cousas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo.” (1 João 2.15-16)
E – Confissão de pecados. (9.2,3)
“... puseram-se em pé e fizeram confissão dos seus pecados e das iniqüidades de seus pais.”
1 Jo 1.7: “Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado.”
1 Jo 1.8,9: “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”
F – Adoração genuína. V. 3
“... fizeram confissão; e adoraram o Senhor, seu Deus.”
Primeiro confessaram os pecados, depois adoraram. Tem muita gente querendo adorar, sem confessar.
G – Fizeram concerto de andarem na Lei do Senhor. (10.28-39)
- Todos aderiram a este concerto. V. 28; “... suas mulheres, seus filhos e suas filhas, todos os sábios e os que tinham capacidade para entender...”

- O compromisso que o povo fez era de: (10.29)
1 – Andar na Lei.
2 – Guardar a Lei.
3 – Cumprir a Lei.

Conclusão: Não existe avivamento que não comece por um retorno ás Escrituras. As igrejas precisam com urgência retornar á leitura, meditação e viver de acordo com a Palavra de Deus. Todo movimento espiritual que não esteja pautado pela BÍBLIA deve ser analisado, e se não passar pelo crivo da Palavra, deve ser rejeitado.
“Avivamento é um estado espiritual no qual os crentes se chegam mais perto de Deus, arrependem-se e purificam-se de acordo com os padrões bíblicos de santidade, são cheios com o Espírito Santo, esperam e experimentam manifestações sobrenaturais e cooperam juntos para glorificar a Deus, edificam-se uns aos outros e evangelizam os perdidos para Jesus Cristo.”

2 comentários:

  1. Reciban muchisimas bendiciones desde mi blog www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com
    Desde El Salvador Centroamerica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já estou seguindo teu trabalho. Obrigado por visitar nosso espaço...

      Samuel Eudóxio

      Excluir